Publicidade

28.09.2018 às 16:41h - atualizado em 28.09.2018 às 23:41h - Meio Ambiente

Laudo aponta contaminação no rio Macaco Branco em Descanso

Joana Reichert

Por: Joana Reichert Iporã do Oeste - SC

Continua depois da publicidade

Laudo aponta contaminação no rio Macaco Branco em Descanso

Continua depois da publicidade

O crime ambiental, e sem conhecimento da origem, foi registrado no rio Macaco Branco em 10 de agosto deste ano no município de Descanso.

Naquele dia, a vigilância sanitária municipal constatou uma coloração branca.

Após coleta de água, o laboratório Hidrolab de Iporã do Oeste recebeu as amostras. O resultado foi positivo para contaminação, nível alto.

A análise destaca a existência de componentes alcalinos em dosagem elevada, potássio e sódio, indicando contaminação por leite ou soro.

Em reunião na manhã desta sexta-feira, 28, com a fiscal sanitária Elaine Melz e os secretários Paulo Lauxen e Marlise Lovatel, ficou definido que o município apresentará o laudo à Polícia Ambiental, que também foi informada naquele momento sobre a poluição.

Conforme a fiscal sanitária, caso a população perceba cores diferenciadas na água ou responsáveis por práticas irregulares, a Vigilância Sanitária deverá ser informada ou a Policia Ambiental.

Segundo Elaine Melz, ações impensadas podem trazer problemas de saúde tanto para a população local como aos moradores dos municípios da região.

Ela comenta que Itapiranga abastece a população com água oriunda do Rio Uruguai, no qual desemboca o rio Macaco Branco, que passa pelo território de Descanso.

O secretário de Administração, Paulo Lauren, destaca que o governo municipal está trabalhando para, no menor espaço de tempo possível, oferecer condições no intuito de resolver esse grave problema.

Além do crime ambiental, o laudo assinala outra situação extremamente delicada. O rio Macaco Branco está contaminado por coliformes totais e fecais. Muitos dejetos humanos e animais, bem como demais materiais em decomposição, estão sendo lançados sem o devido tratamento sanitário.

A fiscal sanitária lembra que com o objetivo de diminuir a contaminação e, consequentemente, evitar advertências e autuações, os moradores devem verificar o sistema de esgoto de cada residência para fazer as adequações necessárias.


Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Nedel Celulares.

Comentários depois da publicidade

Comentários depois da publicidade

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.