27.03.2018 às 23:14h - Geral

Ônibus da caravana de Lula são atingidos por tiros, dizem organizadores

Marcos de Lima

Por: Marcos de Lima São Miguel do Oeste - SC

Ônibus da caravana de Lula são atingidos por tiros, dizem organizadores
Foto: Divulgação / PT

Dois ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram atingidos por pelo menos três disparos de arma de fogo, na noite desta terça-feira, 27, no Paraná, segundo os organizadores do evento. Um dos veículos era ocupado por jornalistas e outro transportava convidados da comitiva.

Ninguém ficou ferido no ataque, ocorrido quando os ônibus deixaram Quedas do Iguaçu e seguiam para Laranjeira do Sul. De acordo com informações do jornal O Globo, o veículo que transporta Lula não foi atingido.

O PT afirma que o Paraná foi o único Estado de todos os percorridos pela caravana do ex-presidente a não fornecer escolta policial à comitiva. Em sua conta oficial no Twitter, Lula disse esperar que o governo federal ou o estadual se responsabilizem pelo ocorrido:

"Se eles acham que fazendo isso vão nos assustar, estão enganados. Vai nos motivar. Não podemos permitir que depois do nazismo esses grupos fascistas possam fazer o quiser", escreveu.

No Rio Grande do Sul, a caravana lulista foi marcada por disputas entre manifestantes contrários e a favor do petista. Na sexta-feira, 23, manifestantes contrários ao ex-presidente bloquearam a chegada da comitiva em Passo Fundo, obrigando Lula a desistir de um compromisso na cidade.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, classificou como "inaceitável" o ataque.

— É absolutamente inaceitável que aconteça, parta de quem partir. Isso não é convivência democrática. Isso não pode acontecer, e se acontecer é preciso identificar os responsáveis porque não pode se repetir dentro do regime democrático — disse o ministro.

Jungmann também condenou confrontos entre militantes petistas e anti-lulistas. Jornalistas foram agredidos no trajeto por seguranças do ex-presidente.

— Não podemos admitir confrontos e é preciso ter respeito.

O ministro afirmou que a Polícia Federal não irá investigar o caso porque o crime não foi federal e cabe às autoridades estaduais atuar.

— Caberá à investigação estabelecer se foi ou não (um atentado político) — disse.


Fonte: Gaúcha Zero Hora

Foto(s): Divulgação / PT

Comentar pelo Facebook

Advocacia Fávero
AL Contabilidade
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.