Publicidade

27.01.2018 às 10:47h - atualizado em 27.01.2018 às 10:53h - Agricultura

Comilp investe em assistência técnica para melhorar qualidade da produção leiteira

Joana Reichert

Por: Joana Reichert Iporã do Oeste - SC

Continua depois da publicidade

Comilp investe em assistência técnica para melhorar qualidade da produção leiteira

Continua depois da publicidade

A Cooperativa da Micro Bacia do Lageado Perau de Tunápolis, a Comilp, conta com mais de 200 associados, e destes, 85 fornecem leite a cooperativa.

De acordo com o engenheiro agrônomo da cooperativa, Evandro Klauck, a média de visitas é de uma por mês em cada família, conforme a demanda por assistência dos produtores.

Ele afirma que em propriedades que tem um investimento maior em tecnologia, a assistência deixa de ser necessária com tanta freqüência, devido à experiência e o preparo dos produtores.

O engenheiro agrônomo destaca que a maior dificuldade encontrada e relatada pelas famílias produtoras de leite, é com relação à contagem de células somáticas, contagem bacteriana e mastite, o que geralmente demanda o uso de medicamentos.

Nas visitas mensais, o engenheiro agrônomo da cooperativa relata que tem percebido maior interesse das famílias em buscar conhecimento e melhorar a produção, tanto em quantidade como em qualidade.

Ele afirma que também tem percebido o interesse dos jovens pela gestão da propriedade, sendo que primeiro eles se capacitam com cursos técnicos e superiores para depois dar sequencia ao trabalho dos pais.

A assistência técnica é fornecida para produtores de Tunápolis, onde se concentra o maior número de associados, mas também para agricultores de Itapiranga, Santa Helena e Iporã do Oeste, neste último, que anteriormente pertenciam a Coafio.

Além de fornecer medicamentos a um custo mais baixo através de uma agropecuária própria, a Comilp também intermedia a compra coletiva de insumos, produtos de higiene e limpeza e feno.

Dos 300 mil litros que a Comilp coleta por mês, cerca de 150 mil litros são industrializados, dependendo da demanda de produtos.

A maior parte do leite é destinada para produção de queijo mussarela e colonial. Em breve a Comilp também inicia a venda de bebida láctea, e já projeta a produção de outros produtos, como nata e manteiga, o que ainda depende de liberação.

A crise que afetou o setor leiteiro no ano passado, e que ainda traz efeitos para a produção deste ano, não foi motivo para desanimar os produtores a ponto de desistir da atividade. Evandro Klauck, ressalta que a crise levou os agricultores a investirem menos, ou com maior cautela, e a grande maioria está otimista com a recuperação do setor para este ano.

Continua depois da publicidade

AL Contabilidade
Nedel Celulares.
Advocacia Fávero

Comentários depois da publicidade

Comentários depois da publicidade

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.