26.01.2018 às 08:36h - Geral

Proposta que prevê reajuste nos salários mínimos regionais chega até o governo de SC

João Bresolin

Por: João Bresolin São Miguel do Oeste - SC

Continua depois da publicidade

Proposta que prevê reajuste nos salários mínimos regionais chega até o governo de SC

Continua depois da publicidade

A proposta com os novos valores dos salários mínimos regionais foi entregue nesta quinta-feira, 25, ao governador em exercício do estado de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira, do PMDB, e deverá ser encaminhada em regime de urgência para a Assembleia Legislativa.

Os valores propostos têm reajuste de 2,95% em relação aos atuais e variam entre R$ 1.110 e R$ 1.271.

A ideia é que o projeto possa ser votado de forma mais rápida possível pela Alesc, a fim de que o novo mínimo seja incorporado à folha de pagamentos dos trabalhadores retroativa à 1º de janeiro deste ano.

O reajuste será aplicado nas quatro faixas salariais que compõem o piso salarial estadual, sendo que a primeira passou de R$ 1.078 para R$ 1.110, a segunda de R$ 1.119 para R$ 1.152,00, a terceira de R$ 1.179,00 para R$ 1.214 e, a quarta, passou de 1.235 para R$ 1.271.

Se encaixam na primeira faixa quem trabalha na agricultura e na pecuária, indústrias extrativas e beneficiamento, empresas de pesca e aquicultura, empregados domésticos, turismo e hospitalidade, indústrias da construção civil, indústrias de instrumentos musicais e brinquedos, estabelecimentos hípicos e empregados motociclistas, motoboys e do transporte em geral, com exceção dos motoristas.

Já a segunda é para trabalhadores das indústrias do vestuário e calçado, fiação e tecelagem, artefatos de couro, papel, papelão e cortiça; em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas; empregados da administração das empresas donas de jornais e revistas, empresas de comunicações e telemarketing e indústrias do mobiliário.

A terceira faixa é para quem atua nas indústrias químicas e farmacêuticas, cinematográficas, da alimentação, empregados no comércio em geral e empregados de agentes autônomos do comércio.

A quarta e última faixa é voltada para trabalhadores das indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico, indústrias gráficas, de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana, de artefatos de borracha, em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito, em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade, nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas, auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino); empregados em estabelecimento de cultura, processamento de dados, motoristas do transporte em geral e estabelecimentos de serviços de saúde.

Fonte: G1/SC

Continua depois da publicidade

Comentar pelo Facebook

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.