cresol mobile

24.07.2020 às 21:19h - Política

Merisio defende eleição direta em caso de impeachment de Moisés e Daniela

Marcos de Lima

Por: Marcos de Lima São Miguel do Oeste - SC

Merisio defende eleição direta em caso de impeachment de Moisés e Daniela
Foto: Solon Soares, Agência AL/Divulgação

Continua depois da publicidade

Segundo colocado nas eleições para governador em 2018, o ex-deputado estadual Gelson Merisio (PSDB) foi às redes sociais se manifestar sobre o pedido de impeachment contra o governador Carlos Moisés (PSL), que o derrotou naquela disputa. A manifestação do ex-pessedista, agora tucano, se restringiu à possibilidade de realização de novas eleições caso haja a cassação do governador e da vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido).

Merisio defende que caso seja realizado o impeachment, a sucessão seja feita por voto direto e não pela Assembleia Legislativa. A legislação nova eleição caso governador e vice sejam impedidos nos dois primeiros anos de mandato e disputa indireta - votariam apenas os 40 deputados - caso aconteça nos dois anos seguintes. Assim, para que haja eleição direta, o impeachment de Moisés e Daniela precisaria acontecer até o final do ano - veja o rito do processo apresentado nesta sexta-feira pela Alesc.

- Caso a Assembleia Legislativa afaste o governador e vice, é necessário que tenhamos o voto direto. Ou seja: que o próximo governador seja escolhido através do voto de todos os catarinenses e não apenas pela escolha dos deputados estaduais - disse Merisio no Twitter.

Merisio ficou à frente de Moisés no primeiro turno das eleições de 2018, mas acabou derrotado por 71% a 29% pelo pesselista na segunda votação, quando prevaleceu o alinhamento de votação com a candidatura presidencial de Jair Bolsonaro, à época também no PSL, que fez 75% votos válidos em Santa Catarina.

Fonte: NSC Total

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.