23.06.2018 às 08:53h - atualizado em 23.06.2018 às 09:45h - Geral

Prefeitos têm chips de celular clonados por golpistas que pedem dinheiro pelo WhatsApp

Kelly Figueiró

Por: Kelly Figueiró São José do Cedro - SC

Prefeitos têm chips de celular clonados por golpistas que pedem dinheiro pelo WhatsApp
Prefeito de Balneário Camboriú foi alvo do golpe

Pelo menos oito prefeitos de municípios catarinenses tiveram neste mês de junho os chips de celulares clonados por bandidos que pedem transferência de dinheiro via WhatsApp. Entre eles estão três gestores de prefeituras do Oeste.

O delegado Felipe Rosado, da Divisão de Repressão a Crimes da Internet do Departamento Estadual de Investigações Criminais disse que existe uma suspeita de que funcionários das operadoras possam ter participado disso ou que a própria operadora tenha sido vítima de alguém ou de um grupo criminoso.

O prefeito de Abdon Batista teve o chip do celular clonado na quinta, 21, Um assessor da prefeitura disse que estranhou quando o prefeito Lucimar Antônio Salmoria pediu, via WhatsApp, para que ele verificasse quanto o município tinha em conta.

Mais um caso teria ocorrido em Bom Retiro, mas não foi confirmado, assim como o caso do prefeito de Tigrinhos. A Polícia Civil diz ainda investigar se os crimes teriam sido cometidos por uma organização criminosa ou se são ações de oportunistas.

Histórico com políticos

Desde o dia 11 de junho, segundo a Polícia Civil, outros quatro casos foram confirmados: dos prefeitos de São Lourenço do Oeste, Galvão, Porto Belo e Balneário Camboriú.

No caso do prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira (PSB), criminosos passaram a usar o número para pedir depósitos bancários a pelo menos um assessor dele. Amigos do prefeito receberam mensagem de uma pessoa que usava o número do prefeito pedindo uma transferência bancária de R$ 100 mil que deveria ser feita imediatamente.

Uma transferência de R$ 3,5 mil chegou a ser feita. "Foi um secretário meu amigo, a quem foi passado o número da conta e ele, achando que era eu acabou fazendo. Algumas pessoas tentaram fazer, mas não conseguiram", disse o prefeito.

A prefeitura de Porto Belo emitiu uma nota em que diz que uma pessoa não identificada estava pedindo dados bancários e outras informações em nome do prefeito.

Em São Lourenço do Oeste, o prefeito desconfiou quando o celular parou de funcionar após aceitar uma atualização do aplicativo de conversas. Um servidor recebeu mensagem com o número do prefeito pedindo para que transferissem R$ 300 mil para uma conta do Maranhão.

"Entrou em contato com o secretário de Desenvolvimento Econômico e com a diretora de finanças exigindo que depositasse numa conta via WhatsApp", disse o prefeito de São Lourenço Rafael Caleffi.

A Polícia Civil também investiga a clonagem do telefone do prefeito de Galvão. Assim como em São Lourenço do Oeste, em Galvão as transferências não chegaram a ser feitas.

Na Serra catarinense, em Anita Garibaldi, os criminosos também tentaram aplicar o golpe. "Se fizeram passar pelo prefeito João Cidinei e mandaram uma mensagem para um servidor, a gente não sabe para qual pedindo que fosse feito depósito na conta que eles passaram", disse Iraci de Souza, da Associação dos Municípios da Serra.

Fonte: G1 / Portal Peperi

Comentar pelo Facebook

Advocacia Fávero
AL Contabilidade
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.