Publicidade

18.01.2018 às 07:58h - atualizado em 18.01.2018 às 08:00h - Justiça

Justiça ordena que Dnit apresente calendário de trabalhos e retome obras na BR-163

Kelly Figueiró

Por: Kelly Figueiró São José do Cedro - SC

Continua depois da publicidade

Justiça ordena que Dnit apresente calendário de trabalhos e retome obras na BR-163
Kelly Figueiró/Portal Peperi

Continua depois da publicidade

A 1ª Vara Federal de São Miguel do Oeste, no Oeste catarinense, determinou que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes apresente em 30 dias um cronograma para as obras na BR-163 que faltam do trecho entre São Miguel do Oeste e Dionísio Cerqueira, também Oeste do estado. Além disso, o órgão e a União devem retomar os trabalhos na rodovia em 90 dias, ou adotar medidas para um novo processo licitatório.

A decisão liminar (temporária) foi divulgada pelo Ministério Público Federal (MPF) nesta quarta-feira, 17. O Dnit disse que o contrato com a empreiteira está sendo rescindido e que há processo para nova licitação em andamento. A Advocacia-Geral da União e a empreiteira Sulcatarinense, contratada para fazer a obra, ainda não se manifestaram.

Obras

Segundo o Ministério Público, que entrou com a ação civil pública na Justiça Federal, o contrato com a empreiteira foi feito em 2012, para ampliação e restauração do trecho. A obra custaria inicialmente R$ 110.502.369,88 e seria executada em um prazo de 720 dias.

“Não obstante, decorridos aproximadamente 1200 dias de vigência contratual, alterado o custo para R$ 154.798.978,59 e após sucessivas paralisações e tímidas retomadas, observou-se a execução de apenas 35,38% do contrato”, escreveu o MPF na ação civil pública.

“A empresa contratada manteve o andamento dos trabalhos por apenas 500 dias, ao longos dos quais paralisou por diversas vezes sua atuação, culminando no total abandono das obras”, completou. De acordo com o MPF, a empreiteira retomou os trabalhos em curtos períodos em 2015 e 2016.

Conforme a ação da Procuradoria da República de São Miguel do Oeste, as obras do trecho estão em estado de abandono e causam transtornos ao trânsito. Segundo o MPF, há risco de acidentes.

Decisão

Na decisão, o juiz federal substituto Marcio Jonal Engelmann fixou multa de R$ 5 mil por dia caso o Dnit não apresente o calendário das obras em 30 dias e outra multa diária de mesmo valor se as obras não foram retomadas em 90 dias ou outro processo licitatório não seja encaminhado.

Segundo o MPF, a Justiça Federal também decidiu que a empreiteira não pode receber verba enquanto não continuar a obra.

Fonte: G1

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

Advocacia Fávero
AL Contabilidade

Comentários depois da publicidade

Comentários depois da publicidade

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.