17.04.2018 às 13:28h - atualizado em 17.04.2018 às 15:14h - Geral

Vereador solicita vistoria de Defesa Civil em residência em situação de risco

Cristian Lösch

Por: Cristian Lösch São Miguel do Oeste - SC

Vereador solicita vistoria de Defesa Civil em residência em situação de risco
Débora Ceccon/ Assessora Parlamentar

O vereador Vagner Passos (PSD) solicitou a presença da Defesa Civil de São Miguel do Oeste na manhã desta terça-feira, 17, em residência na Rua Marechal Bormann no Bairro Jardim Peperi. A casa de propriedade de uma senhora de 75 anos, Vilma Alban já teve um muro e parte do terreno desmoronado por conta de um córrego que passa na lateral da residência.

O vereador Vagner Passos salienta que o pedido é antigo, que já tem muitos registros fotográficos e denúncias desde 2013. “A casa da Dona Vilma tinha um espaçamento de cinco metros para o leito do rio, hoje está em 30 centímetros e essa última chuva que teve deixou eles bem apreensivos. Então fica a preocupação, temos um processo de canalização do rio que se estende por mais de cinco anos, estamos na reta final, temos as licenças ambientais para vencer. Precisamos que os órgãos públicos sejam responsáveis e competentes para resolver isso”, declara.

O vereador reforça que enquanto as máquinas não estiverem trabalhando na canalização a situação é apreensiva e preocupante. Além disso ele cita a preocupação quanto as exigências da Fatma solicitando uma permuta de terra. “Tem essa questão de permuta de terra parte da Fatma, que a gente acha um exagero trocar uma área de terra que está condenada que é um leito de um rio por uma área boa. Acho que poderíamos fazer um projeto de reflorestamento no próprio local ao invés de a prefeitura fazer uma permuta de uma área que pode ser construído um colégio. Eu gostaria que a Fatma revise a questão de permuta de terra”, reforça.

O coordenador da Defesa Civil de São Miguel do Oeste, Jeferson Dias que acompanhou a visita do vereador e equipe e mencionou que a função da Defesa civil é auxiliar nestes momentos em que as residências estão em risco. “Esse caso não é novo, é um caso que os poderes estão a par desde 2013, já existem projetos para canalização, o que temos que frisar é que é um córrego que atravessa o bairro e diversas casas estão próximas do córrego o que se agrava com as chuvas. A defesa civil vai procurar agilizar essa documentação que é necessária para que o município faça a intervenção”, afirma. Segundo ele a prefeitura já adquiriu os tubos e existe um projeto para tubulação para criar uma galeria, porém ele declara que falta uma licença ambiental para intervenção do córrego.

“A casa está em situação de risco, se chover intensamente pode ser que comece a abalar a estrutura da casa e a gente precisa que os órgãos competentes se sensibilizem e os moradores. Todo morador que faz divisa com esse córrego precisa se sensibilizar e ceder uma parte de seu terreno para recomposição ambiental. Então é necessário que os moradores se envolvam também. Hoje à tarde vamos até a Fatma para ver se agilizamos essa licença tão necessária para esta obra”, detalha Jeferson.

Conforme a proprietária da casa, Vilma Alban que tem limitações físicas a residência já foi considerada situação de risco há muitos anos, porém enquanto não se concretiza a canalização do córrego a situação só tem piorado. Ela relata ainda que um dos filhos improvisou uma cerca na lateral da residência como forma de prevenção de acidentes, porém com as últimas chuvas, o terreno novamente começou a ceder. “Eu estou com muito medo, há anos que foi considerada de risco e com as últimas chuvas desbarrancou ainda mais”, diz. Outros moradores que também são atingidos pelo córrego estiveram no local e devem acompanhar a equipe nesta tarde na Fatma em São Miguel do Oeste.

Fonte: Débora Ceccon/ Assessora Parlamentar

Foto(s): Débora Ceccon/ Assessora Parlamentar

Comentar pelo Facebook

Advocacia Fávero
AL Contabilidade
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.