Publicidade

15.12.2017 às 13:31h - atualizado em 15.12.2017 às 13:32h - Saúde

Um novo olhar sobre a prevenção

Cristian Lösch

Por: Cristian Lösch São Miguel do Oeste - SC

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

A saúde preventiva, tem como princípio fundamental, melhorar a qualidade de vida das pessoas, por meio de ações de promoção da saúde e prevenção de doenças e suas complicações. No modelo de saúde atual, optamos por esperar a doença aparecer, para daí sim, implementar o tratamento, que raramente é curativo.

Vale ressaltar que existem três níveis de medicina preventiva, o primeiro são as ações mais básicas, com o objetivo de impedir o surgimento de doenças na população. Atividades com conscientização são as mais comuns nessa área. O segundo nível já traz a doença instalada, mas em estágio inicial, quando ainda é possível fazer seu controle com medicamentos. A terceira fase acontece após as complicações, e é a etapa que mais consome investimentos por parte dos convênios de saúde.

A causa mais comum de mortes no Brasil são as doenças cardiovasculares. Elas matam cerca de 820 brasileiros a cada dia no país, e são responsáveis por 16,2% dos gastos com saúde pública, o que significa cerca de R$ 10,7 milhões por dia, apenas revendo os dados do SUS. Outro fator com grande impacto é o tabagismo. Aproximadamente 18% da população é fumante, e este grupo gasta 26% a mais em saúde. Os fumantes ficam 114% mais tempo internados e faltam 40% mais vezes ao trabalho. Outro monstro silencioso é o sedentarismo, 60% a 70% dos brasileiros são sedentários. Isto implica em 36% mais despesas com saúde, e quando internados, ficam 54% mais tempo nos hospitais.

Nossa população vem envelhecendo de forma acelerada. Todo ano, 700 mil novos idosos são incorporados à pirâmide etária brasileira - a maior parte com doenças crônicas, alguns com limitações funcionais.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), por volta do ano 2020 as doenças crônicas não transmissíveis serão responsáveis por 80% dos problemas de saúde que afetam a humanidade. Diante desse prognóstico, fica evidente o quanto é crucial adotar uma abordagem mais preventiva nos modelos de gestão da saúde.

A atitude preventiva melhora a qualidade de vida, reduz internações hospitalares e melhora fatores de risco, o que consequentemente diminui gastos com atenção à saúde. Saúde não é um custo a ser administrado, e sim um investimento que precisa ser alavancado, este contexto reforça a importância das bases da prevenção, e a implantação de um sistema de saúde preventivo eficaz.

Ágda Hemkemaier Andres- Enfermeira Coordenadora Programa de Saúde Preventiva Viva Bem - HRTGB

- Matérias relacionadas:

> A dependência de duas drogas lícitas: álcool e cigarro

> Hospital Regional discute a Importância da Prevenção

> Reeducação alimentar controla a pressão arterial e evita o uso de medicamentos

> Diagnóstico precoce do câncer de mama permite alto índice de cura

> Doença Cardiovascular: Vida saudável ajuda a prevenir infartos

> Atividade física e alimentação adequada auxiliam a prevenir a obesidade

> Mudanças de hábitos diminuem a probabilidade e consequências do câncer de próstata

> Acompanhamento médico regular e vida saudável visam controlar o diabetes

> A importância da prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis

> Uso racional de medicamentos: os riscos da automedicação

> Viva Bem - Sucesso no aleitamento materno exclusivo

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Nedel Celulares.

Comentários depois da publicidade

Comentários depois da publicidade

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.