Publicidade

15.03.2018 às 15:31h - atualizado em 15.03.2018 às 15:34h - Saúde

Comprometimento e atenção podem evitar acidentes de trabalho

Cristian Lösch

Por: Cristian Lösch São Miguel do Oeste - SC

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

A segurança do trabalho surgiu a partir da necessidade de se reduzir os altos custos, financeiros e humanos, causados por acidentes. Os primeiros passos para um ambiente de trabalho mais seguro foram dados pela chamada "Era da Engenharia", que forneceu tecnologia para projetar máquinas e equipamentos menos perigosos. Em seguida, as empresas voltaram sua atenção para o desenvolvimento de procedimentos e regras de controle. Após, veio a implantação de equipamentos de segurança (individual e coletivo), que acrescentaram uma camada a mais de proteção aos trabalhadores e são considerados a última opção para o controle de risco.

No entanto, em meados dos anos 1970, a principal causa dos acidentes passou a não estar mais relacionada à falha de equipamentos, mas sim, problemas relacionados ao comportamento humano (ato inseguro). De acordo com pesquisas, cerca de 80% a 90% dos acidentes de trabalho ocorrem por conta de atos inseguros.

Um fato muito preocupante é que pessoas cometem atos inseguros de forma inconsciente, em decorrência a isto a tendência da segurança do trabalho para os próximos anos é focada ao comportamento, e este trabalho não deve ficar restrito somente a um ou outro indivíduo. Para construir uma gestão de segurança mais rica e sustentável é necessário que todos os profissionais da empresa participem das ações, dos treinamentos de forma eficiente.

Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT) durante apresentação dos números atualizados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho de 2017, de 2012 até 2017, cerca de 15 mil trabalhadores brasileiros perderam a vida devido a acidentes de trabalho.

Conforme estimativas globais da Organização Internacional do Trabalho, acidentes e doenças de trabalho implicam em perda anual de cerca de 4% do Produto Interno Bruto, o que, no caso do Brasil, equivaleria, em números de 2017, a R$ 264 bilhões.

O número de Comunicações de Acidentes de Trabalho (CAT) registradas em 2017 no país, foi de 574.053, sendo que no ranking geral, os estados que lideram são de São Paulo (37%) e de Minas Gerais (10%), e os gastos com afastamentos previdenciários são maiores em São Paulo (23,34%) e em Santa Catarina (10,11%).

Os profissionais que atuam no atendimento hospitalar são os que mais sofrem acidentes (10% dos casos), em especial aqueles que trabalham na enfermagem e na limpeza. As principais ocupações atingidas são: Técnico de Enfermagem (sendo este quase 80% dos acidentes ocorridos), auxiliar de Limpeza e colaboradores do setor de Manutenção.

Um estudo feito pela União Europeia apontou que a taxa de acidentes de trabalho na área de saúde é 34% maior do que em outros setores. O dado foi apresentado durante o seminário "Saúde na Saúde", realizado no mês de fevereiro de 2018, na Procuradoria-Geral do Trabalho (PGT), em Brasília.

O núcleo de vigilância epidemiológica do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso, notificou no Sistema de Informação de Agravos de Notificações (SINAN) no ano de 2017, 535 acidentes de trabalho grave e 1.199 acidentes de trabalho leve ocorridos em toda a Região do Extremo Oeste.

Evolução do caso:
Incapacidade temporária: 88%
Incapacidade parcial permanente: 10%
Incapacidade total permanente: 1%
Óbito pelo acidente: 1%
Faixas etárias mais acometidas:
Faixa etária 30 e mais: 78%
Faixa etária 20 – 29: 17%
Sexo:
Sexo masculino: 80%
Sexo feminino: 20%

Por isso, o trabalho realizado com atenção, cuidado, foco e segurança, faz toda diferença quando se trata em manter a saúde e o bem-estar pessoal e coletivo.

André Zanella Back – Supervisor de Segurança do Trabalho do HRTGB
Natacha Cristina Melz Zappani – Enfermeira do SCIH/NVEH do HRTGB

- Matérias relacionadas:

> A dependência de duas drogas lícitas: álcool e cigarro

> Hospital Regional discute a Importância da Prevenção

> Reeducação alimentar controla a pressão arterial e evita o uso de medicamentos

> Diagnóstico precoce do câncer de mama permite alto índice de cura

> Doença Cardiovascular: Vida saudável ajuda a prevenir infartos

> Atividade física e alimentação adequada auxiliam a prevenir a obesidade

> Mudanças de hábitos diminuem a probabilidade e consequências do câncer de próstata

> Acompanhamento médico regular e vida saudável visam controlar o diabetes

> A importância da prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis

> Uso racional de medicamentos: os riscos da automedicação

> Viva Bem - Sucesso no aleitamento materno exclusivo

> Um novo olhar sobre a prevenção

> Programa Viva Bem do Hospital Regional: Cuide da sua coluna

> Aspectos ortopédicos e traumatológicos

> Depressão e outras doenças psicológicas: o sofrimento em ascensão

> Calor pode aumentar número de acidentes com lagartas venenosas

> Benefícios de uma alimentação saudável

> Programa de Saúde Preventiva: Viva Bem

> A Mulher e a Doença Renal - Incluir, Valorizar, Capacitar

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

AL Contabilidade
Advocacia Fávero

Comentários depois da publicidade

Comentários depois da publicidade

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.