14.03.2018 às 15:28h - atualizado em 15.03.2018 às 08:31h - Agricultura

Família de agricultores é referência em silvipastoril no Extremo Oeste

Kelly Figueiró

Por: Kelly Figueiró São José do Cedro - SC

Continua depois da publicidade

Família de agricultores é referência em silvipastoril no Extremo Oeste

A propriedade chama a atenção de quem passa na comunidade Linha Sagrada Família, município de Princesa. Logo se percebe o capricho, a dedicação e o respeito dos moradores em relação ao meio ambiente e aos animais. Lá vive o jovem casal Marcelo e Liane Becker. Eles têm uma filhinha: a Bianca, de 5 anos.

A propriedade dos Becker é um modelo de gestão da atividade leiteira com o uso do sistema silvipastoril, uma integração perfeita no campo. A combinação de árvores, pastagem e gado numa mesma área garante muitos benefícios para quem produz e para os animais. A família possui 15 vacas e a produção é de cinco mil e 500 litros de leite por mês. Numa propriedade pequena de sete hectares cada espaço é muito bem aproveitado. Do total, 5,9 hectares são destinados aos bovinos. A área é dividida em piquetes de 675 metros quadrados cada um. São 52 piquetes com pastagem bonita e sempre disponível aos animais. O produtor trabalha com pastagens perenes de verão como o tifton e o pioneiro. Quando seca o pasto, lá pelos meses de março a abril, Marcelo faz a sobressemeadura com aveia e azevém. No inverno já estão prontas para pastoreio e assim nunca falta pasto verde para as vacas. Com o piqueteamento e plantio de árvores na área de pastagem acontece o que os técnicos chamam de “efeito porão”.

O extensionista da Epagri, Leandro Hubner, explica que ocorre uma diferenciação positiva da temperatura tanto no inverno quanto no verão. “O sombreamento possibilita uma diminuição de temperatura entre oito e 10 graus no local em que estão os animais durante o verão. No inverno percebe-se uma redução dos efeitos da geada nestes ambientes”. Todo o projeto de produção de leite é desenvolvido com apoio e a orientação dos técnicos da Epagri. A assistência mostra também a importância de o produtor fazer um bom manejo da criação das terneiras.

O gerente regional da Epagri Jonas Marcelo Ramon diz que o objetivo é pensar na vaca do futuro, afinal são as terneiras que vão garantir a produção de leite dentrode dois anos. “É fundamental o produtor fazer uma criação de forma racional porque o custo é alto e enquanto elas não estiverem produzindo leite a família só tem despesas. Mas o investimento compensa pelo retorno que vai vir mais adiante”...

Planejamento e organização: é assim que a família Becker consegue obter o melhor rendimento na atividade leiteira. São apenas quatro anos que o casal trabalha com produção de leite. Pouco tempo, mas com trabalho, tecnologia e dedicação a propriedade foi toda estruturada e hoje recebe muitas visitas de quem quer ver de perto como administrar a pecuária leiteira com eficiência.

Fonte: Epagri

Continua depois da publicidade

Foto(s): Ascom

Comentar pelo Facebook

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.