13.02.2020 às 11:50h - Meio Ambiente

Gatos-do-mato encontrados na região são encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres

Joana Reichert

Por: Joana Reichert Iporã do Oeste - SC

Gatos-do-mato encontrados na região são encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres

Continua depois da publicidade

O 2º Batalhão de Polícia Militar Ambiental, pelotão de São Miguel do Oeste, juntamente com o IMA, encaminhou nesta quarta-feira ao Centro de Triagem de Animais Silvestres em Florianópolis dois gatos-do-mato-pequeno, espécie Leopardus guttulus, ameaçada de extinção.

Segundo o Policial Militar Ambiental e biólogo, Jean Bernardon, os animais foram encontrados por populares no interior dos municípios de São José do Cedro e Itapiranga. Bernardon salienta que na região não há registro de grandes fragmentos florestais, mas que devido a proximidade com a Reserva da Biosfera Yabotí, no país vizinho, mesmo que raros, são evidenciados registros da espécie.

Conforme Bernardon, um dos animais foi entregue a Polícia Militar Ambiental ainda no mês de novembro, proveniente de São José do Cedro, o qual ficou sob os cuidados do Pelotão e da UNOESC. Já o outro foi entregue em fevereiro por uma moradora do interior de Itapiranga, a qual destinou o animal a uma veterinária que fez o atendimento inicial e encaminhou o espécime ao IMA.

O biólogo explica que os animais, após serem entregues, são avaliados, alojados e alimentados conforme dieta específica para a espécie, uma vez que, na grande maioria dos casos são entregues a autoridade ambiental ainda quando filhotes.

Bernardon destaca que os animais não apresentavam ferimentos, contudo com o encaminhamento ao CETAS será possível melhor avaliação física e clínica, para posterior tratamento e encaminhamento pertinente.

A Polícia Militar Ambiental orienta que não se deve retirar da natureza qualquer tipo de animal silvestre, pois como neste caso, os filhotes acabaram sendo retirados de seus habitats naturais e do convívio com os pais, fator que dificulta o desenvolvimento dos animais e futura reintrodução na natureza.

Segundo o comandante do pelotão da PMA, capitão Everton Roncaglio, toda e qualquer forma de retirar, matar, apanhar, manter em cativeiro animais silvestres é considerado crime ambiental, e os responsáveis respondem administrativamente e judicialmente pelos atos cometidos.

Fonte: Polícia Militar Ambiental

Mais lidas da semana

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.