Polícia

12.10.2017 às 11:16h - atualizado em 12.10.2017 às 11:36h - Polícia

Motorista de São João do Oeste diz que não tinha conhecimento sobre drogas apreendidas em caminhão

Joana Reichert

Por: Joana Reichert Iporã do Oeste - SC

Motorista de São João do Oeste diz que não tinha conhecimento sobre drogas apreendidas em caminhão

A droga, 500 quilos de maconha, foi apreendida pelos Policiais da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes de Campinas, na madrugada de segunda-feira, 09, em Osasco, São Paulo.

A droga era transportada em um caminhão refrigerado, junto com produtos congelados do frigorífico JBS. O caminhão saiu de Dourados, no Mato Grosso do Sul, com destino a Jaguariúna. Dois homens foram presos, entre eles Eduardo Hackenhaar, 26 anos, morador de linha Cristo Rei, São João do Oeste. O outro preso, de 42 anos, que fazia a escolta do caminhão, tem passagens pela polícia. Além da maconha, foram apreendidos pela polícia celulares e o caminhão.

A advogada do motorista, Priscila Cescon Antunes, esta em São Paulo, e conversou pessoalmente com Eduardo na manhã de ontem, mas ainda não teve acesso a totalidade do processo.

Eduardo Hackenhaar continua detido na penitenciária de Osasco, e não há definição para onde será encaminhado, o que deve ocorrer nos próximos dias.

A advogada Priscila Cescon Antunes contou a reportagem da Rádio Oeste que também conversou com o juiz e a acusação, e em função da apreensão da droga ter ocorrido em uma rodovia, não esta definido se o caso vai ser apurado em Campinas ou Osasco.

Eduardo atua como profissional autônomo. Sobre a propriedade do caminhão, a advogada diz que não tem como confirmar a informação. O que ela pode afirmar, é que a droga não era de propriedade do motorista, e que ele não tinha conhecimento da existência do entorpecente encontrado em meio aos produtos refrigerados do caminhão.

O inquérito sobre o caso deverá ser concluído nos próximos dias. A advogada Priscila Cescon Antunes lembra que o processo não esta sob segredo de justiça, mas no momento não tem muitas informações para divulgar porque os pormenores da investigação ocorrem de forma confidencial, apenas entre acusação e defesa.

A defesa do motorista irá enfatizar principalmente o fato de Eduardo não ter antecedentes criminais, ser de família humilde e com boa conduta social e profissional. A advogada acredita que estas informações serão favoráveis na defesa do motorista.

A defesa também alega que Eduardo não conhece o outro acusado que fazia a escolta do caminhão, e que nunca manteve nenhum contato ou relação com ele. O motorista também relatou a advogada que não participou do carregamento do caminhão, e que sua função é apenas conduzir o veículo, que fazia o frete para a JBS.

Foto: G1

Comentar pelo Facebook

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.