12.08.2019 às 15:02h - atualizado em 12.08.2019 às 16:13h - Política

DECÂNDIDO: Se não fosse o PPS Trevisan não seria prefeito

Cristian Lösch

Por: Cristian Lösch São Miguel do Oeste - SC

DECÂNDIDO: Se não fosse o PPS Trevisan não seria prefeito
Cristian Lösch / Portal Peperi

Continua depois da publicidade

A declaração foi feita no sábado, 10, durante o Peperi Rádio Repórter. Segundo Arlindo Decândido, se não fosse o PPS, atual Cidadania, Wilson Trevisan não seria o prefeito de São Miguel do Oeste. Ele disse que o PPS foi o último partido a ingressar na coligação liderada pelo PSD em 2016 e que os votos que a sigla levou para o grupo foram decisivos para a vitória de Trevisan. Na visão de Decâdido, que foi candidato a vereador, os votos que ele recebeu na eleição também foram fundamentais para a legenda e a eleição de Everaldo Di Berti, atual presidente da câmara. O presidente do Cidadania disse que o PPS teve uma participação muito importante no pleito de 2016 e isso deve se repetir na eleição de 2020.

O presidente do Cidadania cobrou mais reconhecimento por parte do governo municipal ao partido. Arlindo Decândido relatou que a sigla foi deixada de lado pelo prefeito. Ele disse que o secretário de Obras, Vilmar Bonora, saiu do partido cerca de dois meses depois da eleição. O mesmo ocorreu com Ana Arnold, diretora da saúde. Os dois trocaram o então PPS pelo PSD, partido do prefeito Wilson Trevisan. Decândido disse que algo deve ter acontecido e a população precisa saber disso. Ele também afirmou que não recebeu nenhum convite formal do prefeito para apresentar as ideias e pensamentos do partido sobre a administração. Decândido cobrou do PSD ainda a abertura de um espaço na câmara para assumir uma das vagas no legislativo por pelo menos 30 dias.

O Cidadania, antigo PPS, mantém o mesmo objetivo de pautar as ações da sigla no setor da saúde. A afirmação foi feita pelo presidente do partido, Arlindo Decandido, que também falou que a mudança de nome não vai alterar os objetivos e a forma de fazer política do partido. Decândido destacou que mesmo sem mandato – ele é suplente de vereador - o diretório municipal conseguiu dois recursos para a saúde de São Miguel do Oeste. Ano passado, foram R$ 250 mil e, neste ano, mais R$ 180 mil que ainda serão encaminhados para o município. Ele reforçou que a saúde é essencial para a população. Decândido disse que os partidos são iguais e que a diferença está nas pessoas que fazem a política. O Cidadania vai continuar exercendo o seu papel de agregar o cidadão para que ele possa fazer algo diferente.

O Cidadania já está discutindo o processo eleitoral de 2020. De acordo com o presidente da sigla, Arlindo Decândido, a eleição do ano que vem já aparece na pauta das reuniões internas. O partido também já se reuniu com outras agremiações. Decândido não descartou a manutenção da coligação, mas ele anunciou no Peperi Rádio Repórter de sábado que o Cidadania, a exemplo de 2016, deve ter candidato a prefeito no pleito do ano que vem.


Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.