cresol mobile

12.05.2020 às 18:52h - atualizado em 12.05.2020 às 18:59h - Variedades

VÍDEO: 12 de Maio Dia Internacional do Enfermeiro

Márcia Macoski

Por: Márcia Macoski Campo Erê - SC

VÍDEO: 12 de Maio Dia Internacional do Enfermeiro

Continua depois da publicidade

Nesta terça-feira, 12 é comemorado o Dia Internacional do Enfermeiro. A Organização Mundial da Saúde, definiu 2020, como o ano internacional da enfermagem. O mundo vive o pior momento relacionado à saúde, que por consequência acaba impactando os demais setores. Em tempos de pandemia, esses profissionais estão na linha de frente. Eles se arriscam diariamente, exercendo mais do que nunca o seu papel ajudando a salvar vidas.

No Brasil, já são quase 100 profissionais da saúde que morreram por causa do coronavírus. Só em Santa Catarina, segundo dados do Cofen (Conselho Federal de Enfermagem), 826 estão afastados de suas funções e um morreu.

Juliana Ansiliero é enfermeira do município de Campo Erê. Também já foi coordenadora de equipe técnica do Caps, é coordenadora do curso de técnico em enfermagem pelo Iceu em Campo Erê e atualmente atua na saúde pública do município. Ela conta que o Dia 12 de Maio é celebrado desde 1965, e foi oficialmente estabelecido como Dia do Enfermeiro em 1974. É uma homenagem ao nascimento de Florence Nightingate que é considerada a “mãe” da enfermagem moderna. Florence nasceu na França e aos 17 anos decidiu ser enfermeira acreditando ser um chamado de Deus. Na guerra da Crimeia em 1853, Florence trabalhou dia e noite cuidando dos soldados feridos. Ficou conhecida como “Dama da Lâmpada”, por usar uma lamparina durante a noite para cuidar dos feridos. Depois da guerra em 1860, fundou a primeira escola de enfermagem na Inglaterra.

Juliana relata que começou a trabalhar na área da saúde em 2003, já foi auxiliar de enfermagem depois fez o curso de técnico de enfermagem e em 2010 cursou graduação em enfermagem. Escolheu essa profissão por amor, e acredita como a Florence, que a enfermagem é um chamado de Deus, pois não tem preço poder cuidar de alguém que precisa.

O maior desafio para Juliana é não conseguir salvar as pessoas que ama. Prova disso, é um depoimento que leu, de uma colega de profissão que perdeu o pai recentemente num acidente de trânsito. Mesmo sendo a profissional que estava ali na linha de frente não pode fazer nada para ajudar a salvar a vida do pai.

A profissional acrescenta que é de conhecimento de todos, que o mundo vive um momento difícil devido a pandemia do coronavírus. Reforça que todos os cuidados sejam mantidos, principalmente com o psicológico seja da população ou dos profissionais, pois precisam estar firmes para o enfrentamento do coronavírus.

Parabéns a todos os enfermeiros e enfermeiras do mundo.


Fonte: Márcia Macoski / Portal Peperi

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.