11.10.2018 às 12:06h - atualizado em 11.10.2018 às 13:24h - Infraestrutura

30% das rodovias federais de SC são péssimas ou ruins

Bruna Hohensee

Por: Bruna Hohensee São Miguel do Oeste - SC

Continua depois da publicidade

30% das rodovias federais de SC são péssimas ou ruins
Divulgação/Internet

Continua depois da publicidade

Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT), a situação das rodovias federais de Santa Catarina piorou no último ano. Somente 43% das estradas são apontadas como boas. Na pesquisa anterior, divulgada ano passado, o índice era de 64%. Atualmente, 30% das BRs catarinenses estão em condições ruins ou péssimas, o que representa cerca de 600 quilômetros. No ano passado, apenas 11% das rodovias eram classificadas assim.

O cenário nacional também piorou no último ano. Enquanto 67% das estradas eram consideradas boas em 2017, hoje são apenas 59%. Segundo o DNIT, a queda coincide com a diminuição dos recursos destinados à infraestrutura rodoviária. Nos últimos quatro anos a média do orçamento do Ministério dos Transportes para o setor rodoviário caiu 28%, passando de R$ 9,66 bilhões, entre 2011 e 2014, para R$ 6,97 bilhões de 2015 a 2018.

Os critérios para avaliação do pavimento consideram a ocorrência e a frequência de defeitos na pista, enquanto os critérios para avaliação da conservação analisam a roçada (altura da vegetação), a drenagem (dispositivos superficiais) e a sinalização (elementos verticais e horizontais). Uma pista em boas condições não tem buracos, com poucas ocorrências de remendos e/ou trincas; tem canteiros centrais e áreas vegetais laterais podadas; e sinalização visível. Por outro lado, uma pista com vários remendos, panelas (cavidades), de sinalização precária e mato alto é considerada ruim ou mesmo péssima.

Continua depois da publicidade

Advocacia Fávero
Nedel Celulares.
AL Contabilidade

Mais notícias

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.