cresol mobile

10.09.2020 às 09:31h - atualizado em 10.09.2020 às 19:43h - Saúde

Comunidade de São João do Oeste adere ao uso de plantas medicinais

Joana Reichert

Por: Joana Reichert Iporã do Oeste - SC

Comunidade de São João do Oeste adere ao uso de plantas medicinais

Continua depois da publicidade

O horto de São João do Oeste foi inaugurado em dezembro do ano passado, pela parceria das secretarias de agricultura e da saúde, hospital, Epagri e a Pastoral da Saúde.

Conforme uma das voluntárias da horta e do horto medicinal, Tereza Arnhold, os cuidados com as plantas estão sendo mantidos, mas com restrições, já que devido à pandemia não estão ocorrendo os tradicionais encontros para o trabalho coletivo.

Ela cita que estão sendo cultivadas as hortaliças que são destinadas ao hospital e também outras famílias do município que tem a necessidade, bem como, a limpeza e o cuidado com os chás.

Tereza enfatiza que a maior satisfação das voluntárias que cuidam do horto, é ver que diariamente as pessoas passam pelo local, se admiram com as variedades de chá e colhem folhas para o consumo. Mudas também são fornecidas no viveiro municipal.

Horto medicinal possui mais de 100 variedades de chás disponíveis para a população. Tereza Arnhold destaca que atualmente a variedade de chás é muito ampla, inclusive alguns tipos vêm desde a época de Jesus Cristo, e ao longo do tempo vêm mantendo a sua função na prevenção, cura ou tratamento de doenças.

Entre as variedades mais comuns, Tereza cita melissa, sálvia, alecrim, hortelã, quebra-pedra, alcachofra, malva, tanchagem, bardana, sete sangria e espinheira santa.

A voluntária destaca que a melissa é usada contra ansiedade, insônia e problemas estomacais. A sálvia é usada para o alívio de aftas, indigestão, calorão, diabete, é também estimulante da memória.

Para pressão alta, ácido úrico e insônia, a indicação é o chá sete sangrias. Já o hortelã, é usado contra asma, problemas respiratórios, alívio de dores, problemas estomacais e uma variedade pode até ser usada como vermífugo.

Tereza Arnhold cita também a alcachofra, usado como diurético e desintoxicante. A malva é usada para problemas com afta na boca, bronquite, gastrite e dor na garganta.

A tanchagem é um antiinflamatório e antibiótico para problemas de infecção. A bardana estimula o funcionamento da vesícula, facilita a digestão, é usada contra gastrite, é um antiinflamatório e também diurético. A voluntária enfatiza que as pessoas devem dar mais valor aos chás, e por serem naturais, também entender o tempo que levam pra fazer efeito, mas respeitar a dosagem e o tempo de uso.

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.