cresol mobile
Polícia

09.06.2020 às 14:48h - atualizado em 09.06.2020 às 16:33h - Polícia

Mãe e padrasto são denunciados por tortura e homicídio qualificado

Kelly Figueiró

Por: Kelly Figueiró São José do Cedro - SC

Mãe e padrasto são denunciados por tortura e homicídio qualificado

Continua depois da publicidade

O Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Barracão, ofereceu denúncia contra o casal acusado de agredir e matar o menino Alexander Vázquez, de três anos. O crime ocorreu em Bom Jesus do Sul, no dia 05 de abril.

De acordo com o Ministério Público, a mãe e o padrasto da criança praticaram os crimes de tortura e homicídio qualificado.

Caso a acusação seja admitida, os denunciados serão submetidos a julgamento perante o Tribunal do Júri, e se condenados, poderão pegar até 40 anos de reclusão.

Relembre o caso

A primeira versão é que o menino teria desmaiado após cair e bater a cabeça na casa da família, na Linha São Paulo, interior de Bom Jesus do Sul. Após passar mal durante o banho, a mãe e o padrasto teriam conduzido o menor até o Hospital em Dionísio Cerqueira, onde a criança acabou falecendo.

Diante da suspeita, pois a criança apresentava vários hematomas pelo corpo, a equipe médica acionou a Polícia que conduziu a mãe e o padrasto até a Delegacia de Dionísio Cerqueira. Após serem ouvidos, e diante da suspeita do crime, os envolvidos foram encaminhados à Delegacia de Barracão, onde prestaram depoimento e foram presos em flagrante. No primeiro momento o casal teria negado as agressões, afirmando que o menor teria caído e se machucado sozinho.

Desdobramento

Em novo depoimento ao Delegado Emerson Ferreira, a mãe contou detalhes de como teriam ocorrido as agressões que culminaram com a morte do menor. Segundo Fernanda, o padrasto Paulo costumava agredir o menino por vários motivos. Ele confirmou, mas alegou que a própria mãe também agredia o filho com tapas e com vara.

Ela relatou que no dia da morte a criança teria pego um frasco de veneno para brincar, o que acabou irritando o padrasto que agrediu o menor com socos na região abdominal e costelas. Logo após o homem saiu de casa e ao retornar percebeu que a criança não estava bem, havia vomitado, defecado e estava meio tonta. Ao tentar dar o banho o menino teria e machucado a cabeça, o que fez com que seu quadro piorasse .O casal então pegou o menor, pediu ajuda para um vizinho para levar o menino até o hospital de Dionísio Cerqueira onde foi confirmada a morte.

Laudo

Segundo o exame do Instituto Geral de Perícia, Alexander Martín Figueiredo Vázquez, de três anos, apresentava diversas lesões com hemorragia abdominal, ruptura de fígado, ruptura de rim, além de traumatismo crânio-encefálico, compatíveis com agressão física, e hematomas pelo corpo.

O casal está preso temporariamente pelo prazo de 30 dias e após a conclusão das investigações ficará a disposição da Justiça para responder pelo crime.

Fonte: JF / Portal Peperi

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.