Publicidade

07.06.2018 às 20:51h - atualizado em 08.06.2018 às 13:16h - Política

STF abre inquérito para investigar Paulo Bauer por corrupção

Cristian Lösch

Por: Cristian Lösch São Miguel do Oeste - SC

Continua depois da publicidade

STF abre inquérito para investigar Paulo Bauer por corrupção
Cristian Lösch / Portal Peperi

Continua depois da publicidade

O senador Paulo Bauer do PSDB agora é oficialmente alvo de investigação no Supremo Tribunal Federal. O ministro Edson Fachin aceitou na última terça-feira, 05, a abertura do inquérito solicitado pela Procuradoria Geral da República para investigar o tucano pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro na relação com a empresa Hypermarcas entre 2013 e 2015.

O período engloba a candidatura de Bauer ao governo do Estado em 2014. De acordo com o delator Nelson José de Mello, ex-executivo da empresa de medicamentos, teriam sido repassados ao senador R$ 11,5 milhões através de contratos fictícios assinados com um escritório de advocacia de Florianópolis, uma empresa de engenharia de Joinville e um instituto de pesquisas de Curitiba, os quais teriam servido de fachada para intermediar os recursos para o tucano.

Na peça, também é relatado que uma investigação interna da companhia, após o afastamento do delator, aponta a existência de uma reunião entre diretores da empresa atestando a inexistência de prestação de serviços nos contratos celebrados, embora tenham sido pagos. A PGR também conta com e-mails do delator tratando do chamado “Projeto Catarinense”, que seria a PEC de Bauer.

Para o órgão, há elementos robustos indicando a correlação entre a tramitação da PEC 115/2011 e a celebração dos contratos fictícios acima narrados e aos pagamentos indevidos realizados em favor de Paulo Roberto Bauer.

Por supostamente envolver a atuação do tucano como senador, Fachin decidiu manter a investigação no âmbito do Supremo.

Em roteiro no Oeste do Estado como pré-candidato a governador, Bauer já esperava pela decisão de Fachin. Através da assessoria de imprensa, o tucano nega ter cometido irregularidades e afirmou que o assunto continua sob cuidado de seus advogados. Ele disse que espera pela oportunidade de se defender no processo, oportunizado agora pela abertura do inquérito.

No final da manhã de quarta-feira passada, dia 30 de maio, Bauer teve uma audiência com Fachin para tratar do assunto.

O caso tem potencial para afetar sua condição de pré-candidato ao governo, embora o PSDB catarinense reitere confiança em sua inocência.

Em seu despacho, Fachin deu prazo até o final da semana para a procuradoria discriminar o que pretende apurar sobre o caso do tucano e outros 60 dias para a Polícia Federal realizar as investigações, ou seja, dois meses de dúvidas sobre o projeto eleitoral do senador.

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

Advocacia Fávero
AL Contabilidade
Nedel Celulares.

Comentários depois da publicidade

Comentários depois da publicidade

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.