06.06.2018 às 15:29h - atualizado em 07.06.2018 às 14:38h - Trânsito

Trechos mais perigosos em rodovias do Oeste estão com obras atrasadas

Marcos de Lima

Por: Marcos de Lima São Miguel do Oeste - SC

Trechos mais perigosos em rodovias do Oeste estão com obras atrasadas
Foto: Divulgação

O estudo "Acidentes Rodoviários e a Infraestrutura" divulgado nesta semana pela Confederação Nacional do Transportes aponta os pontos mais perigosos das rodovias federais no país. Embora não tenha nenhum trecho entra os cem piores do país o Oeste conta com pontos com alto índice de acidentes.

O ponto mais grave está na BR-163, entre o trevo da BR-282 e a saída para Guaraciaba, onde em apenas 10 quilômetros, foram mais de 40 acidentes com vítimas em 2017. Já na BR 282, entre o trevo da 158 e a cidade de Maravilha, e de Chapecó a Xanxerê, o índice de acidente varia entre 30 e 40 acidentes com vítimas a cada 10 quilômetros.

O inspetor da Polícia Rodoviária Federal Carlos Possamai disse que um dos problemas é a travessia urbana das rodovias, como no caso de São Miguel do Oeste.

Possamai disse que a BR-163 a qual compreende o perímetro da Avenida Willy Barth é a principal via da cidade, e por isso é necessário um contorno para tirar o fluxo do centro da cidade. Ele lembra que em Xanxerê a rodovia também passa por dentro da cidade e isso acaba gerando um conflito entre o fluxo da rodovia, que deveria ser numa área rural, com o tráfego urbano.

Já em Chapecó, o maior problema é o grande fluxo de caminhões.e por isso nsses pontos os condutores devem ter uma conduta ainda mais atenta.

O engenheiro civil Ricardo Saporiti, que recentemente fez um estudo sobre as rodovias catarinense, destacou que na BR-282, entre Chapecó e Ponte Serrada, está sendo feita uma recuperação do pavimento e melhorias na rodovia que melhoraram as condições de trafegabilidade.

Ele destaca que de Chapecó à Ponte Serrada, a obra está sendo muito bem feita, bem diferente da BR-163 a qual é uma lástima e apresenta muitos defeitos na pista. Saporiti disse que a situação ainda deve piorar com o aumento de fluxo que será provocado pela rota do milho.

Conforme o engenheiro, na BR-282, de Chapecó a São Miguel do Oeste tem muitos trechos perigosos e intersecções que necessitam de melhorias, como o trevo da BR-158.

Ele afirmou que essa é uma obra que está prevista na licitação de recuperação do pavimento e ampliação de terceiras faixas e trevos que foi licitada pelo DNIT.

Conforme o profissional, essa licitação foi lançada ainda em 2016 e as obras eram para iniciar em abril de 2017 porém os recursos judiciais da empresa que perdeu a licitação atrasaram o início das obras.

Já a Traçado Construções e Serviços foi declarada vencedora e já informou que está pronta para iniciar a obra, só aguardando a liberação dos R$ 50 milhões iniciais, que correspondem a 1/3 do valor total da obra.

Saporiti lembra que estava prevista para o mês de maio a licitação para continuidade das obras de recuperação da BR 163, pois o contrato com a antiga empresa, a SulCatarinense, foi rescindido pelo DNIT, visto que o contrato foi iniciado em 2013 e até agora somente 40% do total das obras estava realizado. No entanto, o recurso disponível no momento é insuficiente para reiniciar a obra.

Na última terça-feira, 05, o superintendente do DNIT em Santa Catarina, Ronaldo Carioni, foi até a capital federal para avaliar qual a disponibilidade de recursos para tocar as obras no estado, principalmente depois dos cortes do governo federal para atender a pauta da greve dos caminhoneiros.

Fonte: Diário Catarinense

Comentar pelo Facebook

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.