Publicidade

06.06.2018 às 15:29h - atualizado em 07.06.2018 às 14:38h - Trânsito

Trechos mais perigosos em rodovias do Oeste estão com obras atrasadas

Marcos de Lima

Por: Marcos de Lima São Miguel do Oeste - SC

Continua depois da publicidade

Trechos mais perigosos em rodovias do Oeste estão com obras atrasadas
Foto: Divulgação

Continua depois da publicidade

O estudo "Acidentes Rodoviários e a Infraestrutura" divulgado nesta semana pela Confederação Nacional do Transportes aponta os pontos mais perigosos das rodovias federais no país. Embora não tenha nenhum trecho entra os cem piores do país o Oeste conta com pontos com alto índice de acidentes.

O ponto mais grave está na BR-163, entre o trevo da BR-282 e a saída para Guaraciaba, onde em apenas 10 quilômetros, foram mais de 40 acidentes com vítimas em 2017. Já na BR 282, entre o trevo da 158 e a cidade de Maravilha, e de Chapecó a Xanxerê, o índice de acidente varia entre 30 e 40 acidentes com vítimas a cada 10 quilômetros.

O inspetor da Polícia Rodoviária Federal Carlos Possamai disse que um dos problemas é a travessia urbana das rodovias, como no caso de São Miguel do Oeste.

Possamai disse que a BR-163 a qual compreende o perímetro da Avenida Willy Barth é a principal via da cidade, e por isso é necessário um contorno para tirar o fluxo do centro da cidade. Ele lembra que em Xanxerê a rodovia também passa por dentro da cidade e isso acaba gerando um conflito entre o fluxo da rodovia, que deveria ser numa área rural, com o tráfego urbano.

Já em Chapecó, o maior problema é o grande fluxo de caminhões.e por isso nsses pontos os condutores devem ter uma conduta ainda mais atenta.

O engenheiro civil Ricardo Saporiti, que recentemente fez um estudo sobre as rodovias catarinense, destacou que na BR-282, entre Chapecó e Ponte Serrada, está sendo feita uma recuperação do pavimento e melhorias na rodovia que melhoraram as condições de trafegabilidade.

Ele destaca que de Chapecó à Ponte Serrada, a obra está sendo muito bem feita, bem diferente da BR-163 a qual é uma lástima e apresenta muitos defeitos na pista. Saporiti disse que a situação ainda deve piorar com o aumento de fluxo que será provocado pela rota do milho.

Conforme o engenheiro, na BR-282, de Chapecó a São Miguel do Oeste tem muitos trechos perigosos e intersecções que necessitam de melhorias, como o trevo da BR-158.

Ele afirmou que essa é uma obra que está prevista na licitação de recuperação do pavimento e ampliação de terceiras faixas e trevos que foi licitada pelo DNIT.

Conforme o profissional, essa licitação foi lançada ainda em 2016 e as obras eram para iniciar em abril de 2017 porém os recursos judiciais da empresa que perdeu a licitação atrasaram o início das obras.

Já a Traçado Construções e Serviços foi declarada vencedora e já informou que está pronta para iniciar a obra, só aguardando a liberação dos R$ 50 milhões iniciais, que correspondem a 1/3 do valor total da obra.

Saporiti lembra que estava prevista para o mês de maio a licitação para continuidade das obras de recuperação da BR 163, pois o contrato com a antiga empresa, a SulCatarinense, foi rescindido pelo DNIT, visto que o contrato foi iniciado em 2013 e até agora somente 40% do total das obras estava realizado. No entanto, o recurso disponível no momento é insuficiente para reiniciar a obra.

Na última terça-feira, 05, o superintendente do DNIT em Santa Catarina, Ronaldo Carioni, foi até a capital federal para avaliar qual a disponibilidade de recursos para tocar as obras no estado, principalmente depois dos cortes do governo federal para atender a pauta da greve dos caminhoneiros.

Fonte: Diário Catarinense

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

AL Contabilidade
Advocacia Fávero

Comentários depois da publicidade

Comentários depois da publicidade

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.