Publicidade

05.08.2018 às 17:11h - atualizado em 06.08.2018 às 08:44h - Geral

VÍDEO: Imagens mostram agressões de marido à advogada no Paraná

Cristian Lösch

Por: Cristian Lösch São Miguel do Oeste - SC

Continua depois da publicidade

VÍDEO: Imagens mostram agressões de marido à advogada no Paraná
Divulgação / PEPERI

Continua depois da publicidade

Momentos antes de cair do quarto andar do prédio onde morava, a advogada Tatiane Spitzner foi brutalmente agredida pelo marido, o professor e biólogo Luís Felipe Manvailer. O crime aconteceu no final de julho em Guarapuava, Paraná. A Polícia conseguiu imagens das câmeras de segurança do edifício que registraram os ataques.

Ambos de 29 anos, Tatiane e Luís Felipe chegaram ao local de carro e em meio a discussões. O vídeo mostra que, no estacionamento, o marido, mais agressivo, retira a mulher do veículo com violência.

As imagens mostram uma série de agressões desferidas por Manvailer, que se sucedem até o quarto andar do prédio. Até lá, a advogada tenta escapar diversas vezes, sendo impedida. Momentos seguintes às câmeras registraram o corpo de Tatiane caindo pela sacada do apartamento.

Responsável pelo caso, o delegado Bruno Miranda Maciozek já havia comentado o teor dos vídeos, que, segundo ele, registram "agressões brutais" contra a vítima. Os golpes do professor se concentraram principalmente na região da cabeça da advogada.

Manvailer fugiu pelo estacionamento do prédio, horas depois da morte de Tatiane. Porém, quando tentava chegar à cidade de Foz do Iguaçu, PR, ele se envolveu em acidente de trânsito em São Miguel do Iguaçu, a 320 km de Guarapuava. Indícios apontam que o professor pretendia cruzar as fronteiras do Brasil com Argentina ou Paraguai.

O homem negou que tenha empurrado Tatiane da sacada do apartamento e chegou a afirmar que ela teria se jogado, durante a discussão. Luís Felipe Manvailer está sendo indiciado por homicídio qualificado, por motivo torpe e meio cruel que não deu chance de defesa à vítima.

De acordo com o Portal G1 e a Folha de S. Paulo, o delegado Bruno Miranda tinha suspeitas de que Manvailer teria alterado as cenas do crime. O que foi confirmado pelas imagens internas. Após a advogada ter caído do prédio, Luís Felipe vai até o térreo e volta, carregando o corpo da advogada utilizando o elevador. Depois ele retorna para limpar vestígios de sangue deixados pelo trajeto.

O professor e biólogo Luís Felipe está sendo indiciado por roubar o carro da advogada para executar fuga e por feminicídio, que é o crime de ódio pelo fato de a vítima ser mulher.

Fonte: O Povo

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade

Advocacia Fávero
AL Contabilidade

Comentários depois da publicidade

Comentários depois da publicidade

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.