02.10.2019 às 12:24h - atualizado em 02.10.2019 às 16:02h - Geral

O encontro do legislativo de SJCedro nesta segunda teve a maior duração do ano

Ivan Guilherme

Por: Ivan Guilherme São José do Cedro - SC

O encontro do legislativo de SJCedro nesta segunda teve a maior duração do ano

Continua depois da publicidade

A última sessão ordinária de Setembro se estendeu até as 22 horas com vários participantes. Houve apenas um requerimento, do vereador Ironi Fedrizzi, solicitando providências para o abastecimento de água para uma propriedade na Linha Danieli, que está com condições críticas.

O encontro foi marcado também pela presença da comunidade e de pronunciamentos. O primeiro deles foi do empresário Alvori Pagnusatti, que reclamou da burocracia do setor de tributos. Ele afirmou que o setor de fiscalização tem notificado a empresa de forma recorrente, o que atrapalha o andamento dos trabalhos e do desenvolvimento do município.

Outra situação é a do frigorífico Malvessi, interditado, e críticas aos órgãos do Estado. O empresário Antoninho Malvessi, a técnica ambiental da empresa, Joana Anzolin, o fiscal sanitário Marcos Bagnara e todos os vereadores discutiram o assunto. No primeiro momento, houve a justificativa de que o assunto foi levado a público devido à questão social que o fechamento está gerando com o desligamento de aproximadamente 50 pessoas.

A primeira a usar a palavra para falar sobre o tema foi a técnica Joana Anzolin, que lembrou que o frigorifico está fechado há 54 dias. Ela explicou que a licença venceu em dois de dezembro de 2017, mas a empresa buscou regularização desde agosto, no entanto, o antigo técnico ingressou com o pedido da renovação no dia 22 de dezembro daquele ano, 20 dias depois do prazo, caracterizando atraso. Devido à pendência no documento, iniciaram os problemas. Ela lembra que a Cidasc esteve na planta e solicitou a licença, que ainda não foi emitida porque sequer houve vistoria.

“Eu só quero trabalhar, é apenas isso que eu peço, minha vida está lá”. Essa declaração emocionada foi dada pelo empresário Antoninho Malvessi, que também fez uso da tribuna. Ele justifica que o objetivo de levar ao público a situação é acabar com comentários maldosos de que a empresa não possui higiene para funcionar e de que ele teria investimentos em outros estados.

O ex-empresário, como se declarou, disse que foram acatadas todas as sugestões para adequação, nas quais houve mais gastos que a empresa vem acumulando. Ele disse que está sendo impedido de trabalhar e de ajudar que as famílias tenham renda. Malvessi relembrou que a empresa vinha em ascensão de faturamento, se recuperando para pagar débitos.

No início da tarde da última terça, 01, os vereadores foram até as dependências do frigorífico e puderam ver como está a estrutura da planta. Agora os vereadores devem forma uma comissão para buscar auxiliar no que eles podem com lideranças e os órgãos do estado.

Foto(s): Ivan Guilherme/Portal Peperi

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.