02.04.2018 às 13:49h - atualizado em 02.04.2018 às 13:51h - Saúde

A importância do pré-natal para a mãe e o bebê

Cristian Lösch

Por: Cristian Lösch São Miguel do Oeste - SC

Um bom pré-natal inicia com uma boa consulta pré-concepcional, que é aquela realizada antes mesmo de engravidar. A mulher pode tirar suas dúvidas e o profissional que a atende, verifica se tem alguma doença prévia ou algum problema que possa interferir na gestação, e em tempo corrigir e garantir que a gravidez ocorra com tranquilidade.

O objetivo do acompanhamento pré-natal, segundo o Ministério da Saúde, é assegurar o desenvolvimento da gestação permitindo o parto de um recém-nascido saudável, sem impacto para a saúde materna, inclusive abordando aspectos psicossociais e as atividades educativas e preventivas.

O Ministério da Saúde recomenda o mínimo de 6 consultas de pré-natal na gestação. Nas consultas, serão realizadas orientações sobre a alteração que irá ocorrer no corpo, vacinas, alimentação, estilo de vida, tipos de parto, cuidados futuros com o recém-nascido, além de verificação de sinais vitais da mulher e batimentos cardíacos do bebê, solicitação e interpretação de exames, como ultrassonografia e os laboratoriais.

No período de 1990 a 2007, conforme o Ministério da Saúde, houve redução em todas as principais causas de morte materna. Os óbitos maternos por hipertensão foram reduzidos em 62,8%; por hemorragia, 58,4%; por infecções puerperais, 46,8%; por aborto, 79,5%; e por doenças do aparelho circulatório complicadas pela gravidez, pelo parto e pelo puerpério, 50,7%. Ou seja, assistência de pré-natal adequada, aliada a identificação precoce das situações de risco e uma referência hospitalar eficiente são necessárias para reduzir óbitos maternos e neonatais.

É de grande importância que as mulheres busquem entender o processo fisiológico da gravidez e de puerpério (chamado o período depois que nasce o bebê), para se livrarem de crenças e mitos, e para garantirem o seu empoderamento em relação ao seu corpo e ao parto que desejarem. É no pré-natal que a mulher deve ser melhor orientada, através da saúde preventiva, para que possa viver o parto de forma positiva e feliz, ter menos riscos de complicações no puerpério e mais sucesso na amamentação.

Aline F. Lazari e Carla D. Reichert
Enfermeiras do Centro Obstétrico do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso

- Matérias relacionadas:

> A dependência de duas drogas lícitas: álcool e cigarro

> Hospital Regional discute a Importância da Prevenção

> Reeducação alimentar controla a pressão arterial e evita o uso de medicamentos

> Diagnóstico precoce do câncer de mama permite alto índice de cura

> Doença Cardiovascular: Vida saudável ajuda a prevenir infartos

> Atividade física e alimentação adequada auxiliam a prevenir a obesidade

> Mudanças de hábitos diminuem a probabilidade e consequências do câncer de próstata

> Acompanhamento médico regular e vida saudável visam controlar o diabetes

> A importância da prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis

> Uso racional de medicamentos: os riscos da automedicação

> Viva Bem - Sucesso no aleitamento materno exclusivo

> Um novo olhar sobre a prevenção

> Programa Viva Bem do Hospital Regional: Cuide da sua coluna

> Aspectos ortopédicos e traumatológicos

> Depressão e outras doenças psicológicas: o sofrimento em ascensão

> Calor pode aumentar número de acidentes com lagartas venenosas

> Benefícios de uma alimentação saudável

> Programa de Saúde Preventiva: Viva Bem

> A Mulher e a Doença Renal - Incluir, Valorizar, Capacitar

> Comprometimento e atenção podem evitar acidentes de trabalho

Comentar pelo Facebook

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.