02.01.2018 às 16:40h - atualizado em 03.01.2018 às 16:25h - Meio Ambiente

REVIRAVOLTA: Laudo não constata ataque de cobra em morte de menino em Ipiranga do Sul

Kelly Figueiró

Por: Kelly Figueiró São José do Cedro - SC

REVIRAVOLTA: Laudo não constata ataque de cobra em morte de menino em Ipiranga do Sul

O Instituto Geral de Perícias do Estado informou nesta tarde, à 6ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Passo Fundo, que a causa da morte do menino de 12 anos, em Ipiranga do Sul, foi apenas asfixia por afogamento. Apesar do laudo ainda não ter sido concluído, a informação é de que a perícia não constatou qualquer machucado, picada de cobra ou outra lesão no corpo da criança.

O laudo pericial só deve chegar à Delegacia da Polícia Civil de Sertão nesta quarta-feira, 3, mas, mesmo assim a Polícia já conversou com o IGP e confirmou a causa da morte. A investigação vai apontar agora em que circunstância o menino se afogou e a existência ou não de uma cobra no rio.

Guilherme da Silva Andrade, de 12 anos, desapareceu na tarde deste domingo, 31, no Rio Teixeira, na localidade de Butiá Grande, zona rural de Ipiranga do Sul. Segundo informações do Corpo de Bombeiros de Getúlio Vargas, o corpo do menino foi localizado, na segunda-feira, 1º, por moradores que também faziam buscas no rio.

Familiares destacaram nas primeiras informações que uma cobra, de grande porte, teria arrastado o menino e com isso acontecido o afogamento. Também houve relatos de lesões, como costelas e um braço fraturados, o que, de acordo com o relato do laudo, não se confirmaria.

Independente do laudo do IGP, a Patram, polícia ambiental de Erechim, faz buscas desde esta segunda-feira às margens do rio onde aconteceu a tragédia, na busca de encontrar os animais ou o animal relatado pelos familiares de Guilherme.

Nota oficial do IGP/RS

Sobre o falecimento de GUILHERME DA SILVA ANDRADE: o Instituto-Geral de Perícias esclarece que, no dia 1º de janeiro de 2018, o Posto Médico Legal de Passo Fundo recebeu o corpo de Guilherme da Silva Andrade para exames.

De acordo com o Laudo de Necropsia, foram encontrados sinais internos de asfixia, além de sinais específicos de afogamento, os quais dão elementos para afirmar que a morte foi devido à ASFIXIA MECÂNICA POR AFOGAMENTO.

Registra-se que os membros não apresentavam fraturas, bem como não há outras particularidades a serem mencionadas. Por fim, foi coletado um fragmento de pulmão para pesquisa de plâncton, exame confirmatório de afogamento.

Fonte: Atmosfera Online/ Rádio Atual

Comentar pelo Facebook

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.