01.08.2017 às 10:23h - atualizado em 01.08.2017 às 10:41h - Saúde

Reeducação alimentar controla a pressão arterial e evita o uso de medicamentos

Cristian Lösch

Por: Cristian Lösch São Miguel do Oeste - SC

Reeducação alimentar controla a pressão arterial e evita o uso de medicamentos

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é uma doença poligênica e multifatorial. É considerada um problema de Saúde Pública e apresenta custos elevados, em função das suas complicações como, acidente vascular cerebral, doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, insuficiência renal crônica e doença vascular de extremidades. Os principais fatores de risco contemplam a idade, gênero, etnia, excesso de peso e obesidade, ingestão elevada de sal, ingestão de álcool, sedentarismo, fatores socioeconômicos e genéticos.

A Hipertensão acomete uma em cada quatro pessoas adultas. Assim, estima-se que atinja 32,5% da população brasileira adulta, chegando a mais de 60% dos idosos e 5% das crianças e adolescentes. É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 50% das mortes por doenças cardiovasculares. De acordo com estudos da Escola de Economia de Londres, até 2025, o número de hipertensos nos países em desenvolvimento, como o Brasil, deverá crescer 80%.

As Sete Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial sugerem um padrão de dieta, conhecido como DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension). Esse padrão foi desenvolvido para controlar a pressão arterial e evitar o uso de medicamentos. Pesquisas já mostraram que a adesão a esse estilo alimentar reduz em 14% o desenvolvimento de hipertensão. Um de seus principais pontos é controlar a quantidade de sódio ingerido no dia e enfatizar o consumo de frutas, hortaliças e grãos integrais, como aveia e linhaça, laticínios magros, peixes, óleos vegetais e oleaginosas, alimentos ricos em potássio, cálcio, magnésio, fibras e proteínas. As diretrizes propõem também, a diminuição no consumo de açúcares, gordura saturada e colesterol, encontradas principalmente em carnes vermelhas, frituras e alimentos industrializados.

As graves consequências da pressão alta podem ser evitadas, desde que os hipertensos conheçam sua condição e mantenham-se em tratamento com adequado controle. O objetivo da prevenção e tratamento da hipertensão é reduzir a morbimortalidade cardiovascular por meio de modificações do estilo de vida que favoreçam a redução/controle da doença.

Nutricionista Clínica do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso, Rafaela Picon

CRN/10 2931

- Matérias relacionadas:

> A dependência de duas drogas lícitas: álcool e cigarro

> Hospital Regional discute a Importância da Prevenção

Comentar pelo Facebook

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.