24.11.2017 às 09:07h - atualizado em 24.11.2017 às 09:15h - Geral

Em um ano, denúncias contra casos de violência doméstica dobram em Descanso

Joana Reichert

Por: Joana Reichert Iporã do Oeste - SC

Em um ano, denúncias contra casos de violência doméstica dobram em Descanso

De janeiro até agora, a Polícia Militar de Descanso foi acionada 54 vezes para atendimentos relacionados à violência contra mulheres. Deste total, houve confirmação de 31 casos.

Os números foram divulgados durante o encontro municipal pelo fim da violência contras as mulheres, realizado nesta quinta-feira, 23, no Clube SAD.

A programação teve mais de 200 participantes. O evento foi organizado pelo governo municipal e Epagri.

O sargento da PM, Ilionei Manfroi, apontou a embriaguez como à principal causa de violência doméstica. Para ele, a solução é o diálogo entre o casal e se necessário buscar ajuda profissional.

Entre as estatísticas, uma pesquisa mostra que o número de violência doméstica em Descanso, envolvendo ameaça, injúria e lesão corporal, dobrou de 2016 para 2017, consequência do trabalho de conscientização e do número de denúncias.

Os dados da Polícia Civil foram apresentados pela delegada Joelma Stang. Os contatos para denúncias podem ser feitos para 180, 181 e 190, além de registros na Delegacia de Polícia Civil.

Outro palestrante do evento, o promotor da Comarca de Descanso, Renato Maia De Faria, destacou a Lei Maria da Penha. Ele explicou que a lei está aí para proteger as mulheres, e pode ser aplicada para vários tipos de violência, não somente a física. Também citou as medidas protetivas, que segundo a Polícia Civil, atingem atualmente 28 pessoas no município.

A deputada estadual, Luciane Carminatti, ministrou palestra sobre a violência doméstica e defendeu que, para ser evitada esta ou qualquer outro tipo de violência, o trabalho de conscientização deve iniciar desde criança.

Ela destacou que no Estado, há 67 casos de violência contra as mulheres por dia. Mas o problema ainda é maior, pois existem muitos casos que não são registrados. A deputada considerou que para avanços no enfrentamento é preciso entender que a violência doméstica vem de vários fatores, inclusive a intolerância.

Segundo o prefeito, Sadi Bonamigo, o poder público tem que proporcionar este tipo de eventos, e, além disso, oferecer condições para as crianças terem uma perspectiva de vida melhor.

Foto(s): Assessoria de Imprensa/Descanso

Comentar pelo Facebook

AL Contabilidade
Advocacia Fávero
Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.